LIVRO DOS COMEÇOS


"Se estiver muito preocupado com o começo, esqueça. Vá fazer outra coisa e, quando menos esperar, ele aparecerá.
Provavelmente cairá sobre sua cabeça quando você estiver guardando a louça ou se preparando para ir dormir. Ou você poderá encontrá-lo largado no chão, embaixo de algum móvel, esquecido ali pelas crianças ou pelo gato. Mas não se incomode; ele virá, porque o começo surge do acaso; é ele que dispara todos os acontecimentos e sensações.
Se você se prepara, nada acontece. Ou, no melhor dos casos, acontece de forma frustrante. Não almeje.
Procure manter a disposição para a surpresa. Mas não cuide para ser descuidado; o treino para isso é mais profundo e acontece sem querer.
 O segredo é aprender a distrair-se sem tentar fazê-lo. Num momento de desatenção, como quem não quer nada, o começo virá despercebido e o levará para um lugar onde habitam vários outros começos, meios e fins. Lá você nem perceberá que está cercado por tantos começos.
 Todos eles o receberão bem e o tratarão como se o conhecessem há muito tempo, desde antes de você estar procurando como começar. Você então terá inúmeros começos e poderá fingir que nem estava considerando essa busca com dificuldade e receio. Tudo será como se sempre tivesse sido seu. A esta altura, entretanto, você deve estar se perguntando como fazer para entrar nesse estado de graça desatenciosa. Se, ainda mais, é preciso não precisar de nada, nem ao menos de treino para receber os começos, Com destreinar a memória, como descumprir tudo? Sim, esse é um problema. Para obter a distração é preciso distrair-se de querê-la e, o que é pior, não se obtém a distração porque ela não é algo que se possua; ela escapa. Só a tem quem não a tem. Talvez um bom método seja permitir que suas falhas se manifestem. Deixe as coisas caírem, tropece, suje a mesa e a roupa, esqueça as chaves e não se culpe. Pare de anotar tudo em fichas, não planeje a semana e acolha as surpresas. Se surgir um imprevisto, aceite-o. Demore mais tempo para fazer tudo e comece a ir a lugares desconhecidos. Não aprenda a chegar; só decida qual será a condução. Entre no primeiro ônibus, desça no trigésimo ponto e vire na quinta rua à direita. Entabule uma conversa sobre o passado com o primeiro velho. Esse será o começo. Mas, se você pensar bem, esse método não passa de infantilidade. Parece original, mas é pura autoajuda.
Esqueça tudo". (por Noemi Jaffe) 

Postagens mais visitadas deste blog

OS PREFERIDOS DA MAMÃE

O QUE É SER PRAGMÁTICO?

SILÊNCIO DOS LOBOS