Postagens

Mostrando postagens de Setembro, 2017

NÃO SEI QUANTAS ALMAS TENHO

Imagem
Não sei quantas almas tenho. Cada momento mudei.
Continuamente me estranho. Nunca me vi nem achei. De tanto ser, só tenho alma. Quem tem alma não tem calma. Quem vê é só o que vê, Quem sente não é quem é,
Atento ao que sou e vejo,
Torno-me eles e não eu. Cada meu sonho ou desejo É do que nasce e não meu. Sou minha própria paisagem; Assisto à minha passagem, Diverso, móbil e só, Não sei sentir-me onde estou.
Por isso, alheio, vou lendo
Como páginas, meu ser. O que segue não prevendo, O que passou a esquecer. Noto à margem do que li O que julguei que senti. Releio e digo: “Fui eu ?” Deus sabe, porque o escreveu.
Poema de Fernando Pessoa

ORAÇÃO DO AMOR PRÓPRIO

Imagem
"Com carinho eu me curo e me amparo a cada passo, a cada queda, a cada subida. Sei que a minha força se refaz no tempo e n’Ele meu coração celebra.
Que eu evite me criticar ou me culpar, para que a energia de meu corpo seja mantida saudável. Que eu saiba respeitar o meu tempo de florescer a cada dor, que eu também me permita a alegria.
Que ao cuidar do outro, eu olhe para a minha vida, regue o meu jardim. Assim, na doação eu me perceba em quanto tenho pra dar, me sentindo cada vez mais preenchida e repleta, de amor e compaixão.
Que a sensação de abandono a mim mesma, esperando que alguém venha me salvar, seja substituída pela certeza de me olhar e me cuidar, com amor e ternura. 
Que eu saiba primeiro me encontrar antes de me perder, porque assim saberei de fato, como confiar em ser livre.
Que eu possa respeitar os meus próprios limites e aprender a dizer não com amorosidade, expressando a minha verdade, vontade e direção.
Nos erros que cometo, que eu possa me olhar com todo amor e compr…

OS AVÓS NUNCA MORREM, APENAS FICAM INVISÍVEIS!

Imagem
Os avós nunca morrem, tornam-se invisíveis e dormem para sempre nas profundezas do nosso coração.


Ainda hoje sentimos a falta deles e daríamos qualquer coisa para voltar a escutar as suas histórias, sentir as suas carícias e aqueles olhares cheios de ternura infinita. Sabemos que é a lei da vida, enquanto os avós têm o privilégio de nos ver nascer e crescer, nós temos que testemunhar o envelhecimento deles e o adeus deles ao mundo. A perda deles é quase sempre a nossa primeira despedida, e normalmente durante a nossa infância.  Os avós que participam na infância dos seus netos deixam vestígios da sua alma, legados que irão acompanhá-los durante a vida como sementes de amor eterno para esses dias em que eles se tornam invisíveis.
Hoje em dia é muito comum ver os avôs e as avós envolvidos nas tarefas de criança com os seus netos.Eles são uma rede de apoio inestimável nas famílias atuais. Não obstante, o seu papel não é o mesmo que o de um pai ou de uma mãe, e isso é algo que as crianças p…