O MELHOR CONSELHO QUE UM AMIGO PODE DAR A OUTRO

Para ser amigo de si mesmo é preciso estar atento a algumas condições do espírito.

A primeira aliada da camaradagem é a humildade.

Jamais seremos amigos de nós mesmo se continuarmos a interpretar o papel de Hércules ou de qualquer super-herói invencível. Encare-se no espelho e pergunte: quem eu penso que sou? E chore, porque você é fraco, erra, se engana, explode, faz bobagem. E aí enxugue as lágrimas e perdoe-se, que é o que bons amigos fazem: perdoam.

“Para atingir a verdade, é preciso superar a seriedade da certeza”. É uma frase genial. O bem-humorado respeita as certezas, mas as transcende. Só assim o sujeito passa a se divertir com o imponderável da vida e a tolerar suas dificuldades.

Por fim, pare de pensar. É o melhor conselho que um amigo pode dar a outro: pare de fazer fantasias, sentir-se perseguido, neurotizar relações, comprar briga por besteira, maximizar pequenas chatices, estender discussões, buscar no passado as justificativas para ser do jeito que é, fazendo a linha “sou rebelde porque o mundo quis assim”. 
Sem essa. 
O mundo nem estava prestando atenção em você, acorde. 
Salve-se dos seus traumas de infância.

Quem não consegue sozinho, deve acudir-se com terapeuta. 

Só não pode esquecer: sem amizade por si próprio, nunca haverá progresso possível, como bem escreveu Sêneca cerca de 2.000 anos atrás. Permanecerá enredado em suas próprias angústias e sendo nada menos que seu pior inimigo.

Martha Medeiros 

Postagens mais visitadas deste blog

OS PREFERIDOS DA MAMÃE

O QUE É SER PRAGMÁTICO?

SILÊNCIO DOS LOBOS